shutterstock_154730771.jpg

 E se a sua história fizesse parte deste livro?

 

 

 

A vida é cheia de histórias de coincidência.

Conte-nos a sua,
você pode fazer parte desta obra.

shutterstock_116736052.jpg

Um livro colaborativo. De onde veio esta ideia.

 

Todo mundo tem uma coincidência para contar. Seja uma pequena troca de olhares entre desconhecidos que se reconhecem de passagem, ou um nome que teima em aparecer em seu caminho.
João Anzanello Carrascoza está escrevendo um livro permeado de coincidências que aconteceram em sua vida, a partir de uma viagem ao Château de Lavigny, uma residência de escritores na Suíça. As histórias, vividas por um personagem que, por vezes, confunde-se com o próprio autor, vão sendo contadas em meio a pequenos momentos do cotidiano carregados de significado.
Mas, enquanto ele elabora o livro, para não povoá-lo só com suas coincidências, decidimos montar um projeto inovador de narrativas colaborativas. Os leitores poderão enviar suas coincidências e as que forem selecionadas serão reescritas por Carrascoza e inseridas no Diário das coincidências. Assim, você pode ter a sua história contada, com beleza e maestria, no novo livro de um dos mais expressivos escritores brasileiros contemporâneos.
Envie sua história e acompanhe a elaboração do livro aqui pelo site. Você pode também saber mais sobre o autor, ver o que os booktubers têm a dizer do livro, acompanhar o que estão falando nas redes sociais e até ler um pouco sobre o processo criativo da obra.

 
 
Foto Carrascoza 2.jpg

O Autor

Foto de Juliana Monteiro Carrascoza

João Anzanello Carrascoza nasceu no interior de São Paulo, na cidade de Cravinhos, em 1962. Com dezessete anos, mudou-se para a capital a fim de estudar publicidade e propaganda na Universidade de São Paulo — onde obteve também os títulos de mestre e doutor.
Na década de 1980, começa a publicar seus primeiros escritos em jornais e revistas. Seu livro de estreia, Hotel solidão, recebeu o Prêmio do Concurso Nacional de Contos do Paraná e foi lançado em 1994 com ótima recepção da crítica.
Hoje, com duas dezenas de livros de contos e romances publicados, como Caderno de um ausente, Aos 7 e aos 40 e Amores mínimos, é considerado um escritor da linhagem literária de Carlos Drummond de Andrade. Por sua facilidade em lidar com a poesia do cotidiano, a escrita de Carrascoza é concisa e límpida, capaz de levar o leitor a perceber a beleza das coisas pequenas.
Laureado com diversos prêmios, entre eles o Jabuti, Fundação Biblioteca Nacional, APCA e Radio France International, Carrascoza é o ficcionista mais lírico de sua geração. Você também pode acompanhar o trabalho dele por sua página no Facebook.

 

“A literatura é a construção de mundos possíveis. É uma forma de a gente sonhar.”

 

shutterstock_144160735.jpg

Envie a sua coincidência

Os envios estão encerrados. Em breve você poderá ler as coincidências selecionadas no livro. Enquanto isso, você pode acompanhar o blog do autor.